Anotações Texto I – Metodologia do Ensino de Línguas (Vilson J. Leffa)

Distinções entre os termos:

  1. Abordagem (mais abrangente, engloba pressupostos teóricos) e método (tem uma abrangência mais restrita e pode estar contido em uma abordagem, trata da aplicação dos pressupostos).
  2. Aprendizagem (desenvolvimento formal e consciente da língua) e aquisição (desenvolvimento informal e espontâneo da língua).
  3. Segunda língua ( a língua estudada é usada na comunidade – um brasileiro estudando inglês na Inglaterra) e Língua Estrangeira (a língua não é usada na comunidade – um brasileiro estudando inglês no Brasil).

AGT (A Abordagem da Gramática e da Tradução)

  • Consiste no ensino da segunda língua pela primeira;
  • A ênfase está na forma escrita da língua;
  • Pouca ou nenhuma atenção é dada para pronúncia ou entonação.

AD (A Abordagem Direta)

  • Consiste no ensino da segunda língua através da segunda língua;
  • Jamais recorre à tradução, o aluno deve aprender a “pensar na língua”;
  • A ênfase está na língua oral e na integração das quatro habilidades (ouvir, falar, ler e escrever);

Obs.: a AD é mais defendida/apreciada pelos metodólogos, porém a AGT é mais empregada pelos professores na prática.

AL (A abordagem para a leitura)

  • O objetivo era, obviamente, desenvolver a habilidade da leitura;
  • O desenvolvimento do vocabulário era essencial;
  • Predominavam os exercícios escritos.

AAL (A abordagem audiolingual)

  • É a reação dos próprios americanos contra a AL;
  • AS premissas que sustentam o método foram reformuladas, sendo elas: língua é fala, não escrita; língua é um conjunto de hábitos; ensine a língua, não sobre a língua; as línguas são diferentes.

Há outras abordagens. Entretanto, a solução proposta é a do ecleticismo inteligente, incorporar o novo ao antigo, uma forma de mesclar as abordagens baseada nas experiências em sala de aula.

Amanda Bastos